Ouvir com webReader

[dropcap]O[/dropcap] NE Noticias divulgou na manhã dessa quarta-feira, 08/10, uma matéria em que fala sobre o posicionamento do PMDB e do PDT sobre os filiados as legendas que tem cargos executivos em seus municípios e que durante esse pleito para governo do estado estiveram ligados a campanha do candidato Eduardo Amorim. Segundo o texto, esses chefes municipais não terão as legendas de seus partidos atuais para disputar a reeleição em 2016.

DSC05950

Segundo o texto a situação ´seria mais complicada para Zé de Francisquinho, prefeito de Umbaúba, Fernandinho Franco, de Muribeca e Fernando Lima, de Nossa Senhora das Dores. Além desses a vida politica quanto a reeleição pela legenda também estaria difícil para o ex-deputado federal Jorge Alberto do PMDB que esteve com Amorim neste pleito.

Leia abaixo o texto na integra:

As eleições passaram e já começam a produzir as primeiras consequências.

No PMDB, quem apoiou Eduardo Amorim (PSC) e quiser disputar eleição, vai ter que buscar outra legenda, como é o caso do ex-deputado federal Jorge Alberto.

Mas a situação pode se agravar mesmo é para os prefeitos Fernandinho Franco, de Muribeca, Zé de Francisquinho, de Umbaúba, e Fernando Lima, de Nossa Senhora das Dores. Filiados ao PDT, receberam publicamente nesta manhã de quarta-feira, 8, o recado do presidente estadual do partido, Fábio Henrique, que foi claro: “Não terão a legenda do PDT) para disputar a eleição”.

O partido não vai expulsá-los, o que pode trazer seríssimas complicações para os três, por causa das limitações impostas pela legislação eleitoral.