A sessão da Câmara de Vereadores de Umbaúba realizou na noite desta quarta-feira, (29) a ultima sessão ordinária do mês de março de 2017 e teve uma pequena “dificuldade” em analisar de forma unanime um pedido de providencia (ou solicitação como consta no regimento).

A proposta de solicitação foi feita pelo Vereador Denival (PT) que solicitou a reconstrução do calçamento a paralelepípedo do cruzamento da Avenida Benjamin Constant com a Rua de Arauá. O trecho e pequeno, mas devido ao grande fluxo de veículos no local e a vazão de água, tanto pluvial quanto de esgoto, acabam por desgastar o calçamento que vai afundando e passa a causar prejuízos aos condutores que por ali transitam.

A solicitação foi simples e bem oportuna, mas nem todos os colegas parlamentares pareciam comungar do mesmo sentimento de obrigatoriedade cobrado. A vereadora Celene (PMDB), passou para o plenário que já havia a ideia de se esperar a passagem da obra da HECA, empresa que presta serviço para a DESO em colocação de tubulação para que seja feito a reconstrução do calçamento no local.

A informação foi recebida e apoiada por alguns como Robson Fortunato (PPS). A justificativa para a espera é a de que ase for feito agora a obra da DESO ira quebrar durante a escavação e terá de ser feita novamente.

A vereadora Luziene (Lia Solidariedade) saiu em defesa do colega Deni e dizendo que a solicitação representa a vontade do parlamentar seja ele qual for e deve ser respeitada tendo a obrigatoriedade de ser votada.

Deni ressaltou que quando o problema começou no local a obra da DESO ainda não tinha entrado na via de cruzamento Benjamin Constant e Rua de Arauá. Neste momento a obra encontra-se para em frente ao Colégio Estadual Garcia Filho e, considerando a complexidade e morosidade da escavação, deve demorar pelo menos duas semanas para chegar ao local citado, isso considerando que o período de chuva não atrapalhe o andamento.

Mesmo com todas as discussões e com grande apoio a ideia de que seria “meio que inútil” a execução neste momento, todos votaram favorável ao pedido que foi aprovado por todos os presentes, no total de 11 vereadores.