A noite deste ultimo sábado (29), em Umbaúba foi palco da 5ª edição do Baile Filhos e Amigos de Umbaúba. A festa que remonta aos famosos bailes dos anos 60, 70, 80 e 90 passou a ser parte integrante do cotidiano cultural do município sendo esperado com fervor pelos participantes.

FILHOS E AMIGOS DE UMBAÚBA (70)Organizado por Fernando, secretário municipal e José Abílio, empresário da região. Ambos apaixonados pela boa musica dessas épocas os dois amigos a cinco anos projetas e oferecem ao público tão apaixonado quando eles a oportunidade de reviver aqueles belos momentos.

Em 2016, a diversão ficou por conta da super orquestra/banda, ‘Cores do Mar’ de penedo em Alagoas, que tocou desde de musicas nacionais famosas até as internacionais e passou também pelo frevo, forro entre outros ritmos.

Durante o intervalo entre as duas bandas os patronos do evento subiram ao palco onde foram homenageados com um titulo honorifico em gratidão a seu legado festivo/cultural  empreendido no município. Em seguida foi a hora do discurso dos patronos onde para a lamentação dos entusiastas e fãs do Baile Filhos e Amigos de Umbaúba, Fernando, um dos criadores anunciou que esta se despedindo da organização do evento e falou sobre o futuro do baile.

FILHOS E AMIGOS DE UMBAÚBA (76)
Elias Fernando fala sobre sua saída da organização do evento/Foto: R. Lima (Portal Alarde)

“É com muita tristeza que anuncio a minha saída da organização deste evento como esta sendo o meu ultimo baile ‘Baile Filhos e Amigos de Umbaúba’ . Estou muito emocionado ao dizer isso, mas estou sozinho e não consigo mais dar conta de tudo sozinho, porém espero que alguém queiram levar adiante esse legado”, disse Fernando.

O empresário José Abílio, um dos patronos do evento disse entender, mas lamentou a decisão do amigo e explicou o por que de sua paixão pelo eventos que o levou a ser co-criador com seu amigo Fernando de uma das festas mais badaladas do município.

FILHOS E AMIGOS DE UMBAÚBA (78)
José Abílio e Elias Fernando receberam titulo honorífico/Foto: R. Lima (Portal Alarde)

“Somos conterrâneos e gostamos de reviver o nosso passado, o tempo da jovem guarda  e como eu sempre tem pessoas que gosta do dessa cultura que quase foi esquecida, mas nós não esquecemos. Algumas pessoas da velha guarda sempre nos dizem que é normal que a juventude mude, que as coisas mudem, mas o que não podemos é ficar parado e deixar que tudo isso morra”, ressaltou o patrono José Abílio.

Confira a seguir algumas imagens do evento.