Foi realizado na noite desta quinta-feira, (27) em Umbaúba, o concurso que elegeu a Nova “Rainha Junina Gay” que reinará até 2018. O titulo foi disputado entre 09 inscritas que ao final coroou três com as primeiras colocações.

Temos como base no Portal Alarde sempre registrar e descrever em texto todo o evento, mas hoje, encontrei na página de um amigo uma pequena crônica que achei perfeita para o fato e resolvi torna-la parte integrante desta matéria. Curtam o texto abaixo.

Muito se especulava a respeito do desfile da rainha Junina Gay e horas antes do início, as ruas vazias no centro da cidade já denunciavam a grandeza e o sucesso que o evento demonstraria.

E foi o que aconteceu. A cidade de Umbaúba se fez efetivamente presente, dizendo não a homofobia, e sim a igualdade de sonhos. Cada candidata trazia consigo a sua história, era a hora de dizer ao mundo quem de fato somos e como somos por dentro. Olhares brilhavam, nas candidatas e no público também, e a mesa de jurados demonstrou a eficiência do “arrepiômetro”, quando escolheu, com coerência, os primeiros lugares.

Não se tratava de ser a melhor, e nem a pior, mas, a que simplesmente emocionou, e foram muitas as emoções. Vi a primeira princesa contagiar o público como nenhuma outra, a mãe babava, literalmente, de emoção. Notei a elegância e simpatia da segunda princesa, quanta classe e glamour, me encantou totalmente. E vi, com os mesmos olhos, a Rainha Junina arrasar, ela foi linda em tudo, e não cansou em momento algum, parecia que nasceu para aquele momento, assim também vi a candidata Izaías, lá do tabuleiro, cheio de orgulho de si, realizando o que era apenas sonho, mas que ali era materializado, o sonho se tornando real.

Muitas risadas, gargalhadas, era a festa da família, e como não poderia ser, a mãe de uma das candidatas era a mais bela torcedora que já vi, toda cheia de orgulho e satisfação, em ver o seu filho, ou filha, não importa, brilhar. 

Não poderia deixar de agradecer a essas jovens por me representar, por ampliar os horizontes da cultura a todas as pessoas. Cultura não é homofobia, o preconceito está na mente de quem não entende a graça de viver, sim, “viver ultrapassa qualquer entendimento”. 

Obrigado Quadrilha Junina Balanço do Nordeste, vocês são excelentes organizadores. Muitos já promoveram desfiles no mesmo espaço, desfiles héteros eu digo, nenhum deles foi capaz de reunir o público que vocês conseguiram, isso não é pra qualquer um, acreditem.

Escola Josefina Batista Hora, parabéns pela iniciativa, o aluno deve compreender que a sociedade é diversa, mista, e que o preconceito não é virtude. É preciso saber conviver, e conviver com harmonia. 

Parabéns primeira Dama pela presença e pelo apoio, a sua presença, sem dúvidas, dignificou ainda mais a nossa noite. 

E minha querida Lindy Rose, Você encantou a todos nós, não apenas com a sua voz que é fascinante, mas com a sua generosidade, você e o seu grupo inteiro, agradeço na pessoa do seu empresário. A vida lhe dará a recompensa, pois tudo o que realizamos de bom, retorna para nós.

A todos os que, direta e indiretamente contribuíram para esse sucesso, meus sinceros agradecimentos e votos de congratulações, que se estende também até aqueles que duvidaram ou que acharam fora de época. 

Resultado

Assim foi a noite diferenciada, cheia de graça e encanto que elegeu a Rainha Junina Gay de Umbaúba. as três primeiras colocações foram para “Samilly Teylor, 265”, “Tayla Campos, 259,5” e “Isys Lovatellys, 259” respectivamente.