O PSB anunciou nesta quarta-feira, 08/10, o seu apoio formal a o candidato  Aécio Neves no segundo turno das eleições presidenciais. A adesão do partido ao tucano superou os 15 votos necessários na Executiva para a aprovação. Até as 18:10 horas, 21 votaram pelo apoio ao tucano, outros 6 dirigentes votaram pela neutralidade, e 2, pelo apoio a Dilma Rousseff (PT).

Segundo um dirigente da sigla, ficarão liberados os diretórios da Paraíba e do Amapá, Estados em que os governadores são do PSB e tentam a reeleição aliados ao PT.

PSB-SE

Em Sergipe, o senador Valadares e o deputado federal Valadares Filho, que integram a Direção Nacional, votaram pela neutralidade do PSB em relação ao pleito presidencial em segundo turno, junto a mais seis diretórios estaduais, entre eles a Bahia.

A decisão do diretório nacional é que foi seguida a risca pelo diretório de Sergipe no sentido do apoio a Aécio Neves deixa em situação delicada a coligação feita pelo PSB com PMDB e PT para a disputa do ultimo dia cinco que elegeu “Belivaldo Chagas (PSB-40)” como vice governador ao lado do governador eleito Jackson Barreto que por sua vez é apoiador de Dilma.

Com essa decisão o PSB Sergipe estará se aliando neste segundo tuno ao bloco que disputa as eleições presidenciais contra a presidenta Dilma a nível nacional, mas que, a quase oito dias, era aliado do governador reeleito Jackson Barreto (PMDB), com quem esteve no primeiro turno e passou a compor uma aliança feita em 2006 e que se mantém até agora em desfavor do candidato tucano.

Além disso, o PSB em Sergipe tem filiados que não sobem no palanque dos adversários, como é o caso do vice-governador eleito Belivaldo Chagas (PSB), companheiro de chapa de Jackson Barreto. Abaixo as notas dos diretórios estadual e nacional do PSB.

[divider]PSB/SE segue orientação nacional, mas respeita decisão das lideranças locais

O diretório estadual do PSB/SE, através de seu presidente Paulo Viana, reuniu as lideranças do partido, na sede da Aease, na manhã desta sexta-feira, 10/10, para oficializar o anúncio da decisão nacional do partido em apoio a Aécio Neves (PSDB) na disputa eleitoral à Presidência da República em segundo turno, abrir o debate local e ouvir o posicionamento das lideranças do partido.

AÉCIONo encontro em Brasília, com as presenças do senador Antônio Carlos Valadares e do deputado federal Valadares Filho, a executiva nacional do PSB declarou apoio a Aécio Neves, seguindo a vontade da esmagadora maioria de seus membros, onde 27 diretórios tiveram direito de votar.  Na reunião da Nacional o senador Valadares defendeu que, de acordo com a realidade local, a vontade de cada um devia ser respeitada. A decisão foi no sentido de caminhar com Aécio, mas que as realidades políticas nos Estados seriam observadas.

Em Sergipe, o PSB aprovou, por unanimidade, a decisão Nacional de apoio a Aécio Neves para presidente, mas respeitará, dentro do mesmo espírito estabelecido pela direção da Executiva do partido em Brasília, a posição tomada pelas lideranças em observância às realidades locais.

Quanto ao Senador Antonio Carlos Valadares, disse que “assim como começamos esse projeto de mudança com o saudoso Eduardo Campos, que foi seguido por Marina, como homem de partido, apoiarei Aécio Neves, ressalvando no entanto que em Sergipe não subirei em palanques de adversários políticos. Confio que a resolução do PSB nacional venha contribuir pra mudar o Brasil”.

Confira, em anexo, a nota emitida pela executiva nacional, manifestando apoio a Aécio Neves no segundo turno.

PSB/SE

Assessoria de Imprensa

[divider]

NOTA OFICIAL – 08/10/2014

Eduardo Campos e Marina Silva celebraram em 5 de outubro de 2013 o compromisso de, juntos, ofertarem ao Brasil um projeto político consistente. Pretendiam mudar o Brasil e mudar a política. Seu projeto de País altivo e soberano ganhou corpo no PSB e foi materializado na Coligação Unidos pelo Brasil, fruto da aliança também com PPS, PHS, PRP, PPL, PSL e Rede Sustentabilidade. Morto Eduardo Campos, nosso companheiro, Beto Albuquerque, integrou como vice a chapa que teve Marina na cabeça do pleito presidencial.

Apesar dos esforços, não houve êxito. As urnas reconfirmaram a conhecida dicotomia política. Uma realidade que impõe a nós a responsabilidade de uma definição diante dos projetos políticos remanescentes, face ao segundo turno das eleições presidenciais, que se realizam no dia 26.

Não podemos nos furtar ao compromisso com o futuro do Brasil, que hoje vê com pesar seu ciclo de crescimento interrompido, pondo em risco conquistas sociais obtidas. Precisamos avançar, para acabar com as iniquidades e injustiças, como condiz com a visão de uma esquerda progressista e democrática, profundamente voltada para por em marcha as necessárias transformações sociais. Mas, especialmente, não podemos nos furtar ao compromisso político assumido em vida por Eduardo. Temos o dever de levar adiante sua missão, para que seu sacrifício não se revele inútil.

Diante do exposto, o PSB reuniu hoje, em Brasília, sua Comissão Executiva Nacional, que deliberou o que se segue:

  1. Indicar o apoio à candidatura de Aécio Neves, ressalvadas as realidades dos Estados, na expectativa de ver amadurecer um novo modelo de política visando o desenvolvimento e o atendimento às aspirações legitimas do povo brasileiro.
  2. Essa indicação de apoio fica condicionada a acordo a ser discutido e firmado sobre bases programáticas, considerando a urgência de criar o ambiente necessário a um novo ciclo de desenvolvimento.

Brasília-DF, 08 de outubro de 2014

Roberto Amaral

Presidente Nacional do PSB[divider]