O FAMOSO “ARGUMENTUM AD POPULUM” DOS NOSSOS DIAS

0
607

Nos últimos tempos o Estado Brasileiro esta vivendo um período onde a “Dita” maioria daqueles que se dizem pensantes vão às ruas reivindicar aquilo que eles supões ser correto e o melhor para o país. Nessa busca desenfreada e cheia de argumentos vazios, deixa-se de levar em conta a posição de cada um em detrimento daqueles que querem impor a vontade da maioria contabilizada em cada ato.

O raciocínio falacioso que consiste em dizer que determinada proposição é válida ou boa simplesmente porque muitas pessoas (ou a maioria delas) a aprovam é o termo expressivo mais usado nestas aglomerações de direitos alienáveis que hora se mostram nas ruas e avenidas, nas janelas dos apartamentos altos. O famoso Argumentum ad populum apela à multidão na incansável esperança de que essa se convença de sua validade suprema, mas não é bem assim.

Nenhum argumento por maior que seja se valida somente por ser a escolha de uma maioria. Nada garante que algo seja verdadeiro ou correto apenas pela sua popularidade, mas é isto que esta sendo imposto por grande numero de pessoas que se sentem lesadas pela democracia brasileira que escolhei de forma legitima quem representaria a nação ante o mundo.

O que estes supremos brasileiros tentam impetrar na sociedade brasileira nada mais é do que uma Tirania da maioria, Tirania das massas, uma ditadura da maioria, que promete derrubar o que estes consideram uma ditadura de um só partido. Sendo assim há que se pensar que nenhuma vantagem nos aguarda ante esta mudança e se assim é para que mudar.

“Pugnamus hodie sic et cras et verborum vis nos possumus dicere quod simul reprimentia liberdae libere sese efferre possumus”.

Essa maioria que oferece a libertação ao povo com a simples troca de um governo assemelha-se mais a uma “tolerância repressiva”, que retira de uma população o direito de sua escolha julgado que estes não tenha a suficiente competência de escolher.

O Brasil ainda vive e precisa continuar vivendo em um regime democrático onde a maioria da população por mais simples, humilde que seja tenha o direto de fazer suas escolhas e vê-las respeitadas e não vê-las morres submissas às vontades de uma maioria classista trabalhando sobre o famoso argumento de Argumentum ad populum que infelizmente mas ainda sem sucesso vem tentando se implantar.