O Japão, o pequeno país dos grandes números vive hoje em dia um dilema exatamente por causa de uma dessas grandezas. E a culpa, quem diria é um fator humano que tem se tornado cada dia mais raro nas sociedades modernas, a “Virgindade”.

OBS: antes de continuarmos com essa matéria pedimos parcimônia aos leitores para que não se adiantem em pensar de forma errônea.

Quais imagens vêm à sua cabeça quando falamos de Japão? Uma delas, com certeza, é daquelas de cidades densamente povoadas. Entretanto, a taxa de natalidade do país está em declínio e a quantidade de idosos não para de crescer. Isso tem preocupado as autoridades, que estão incentivando o casamento e a criação de filhos.

Uma nova pesquisa trouxe dados alarmantes sobre o comportamento dos jovens japoneses: 70% dos homens solteiros e 60% das mulheres solteiras, com idades entre 18 e 34 anos, nem estão em um relacionamento. Para piorar, 42% dos homens e 44,2% das mulheres se declararam virgens!

Desde 1987, quando essa pesquisa começou, a porcentagem de solteiros e virgens só tem aumentado. O governo tenta, agora, aumentar a taxa de fertilidade de 1,4 filho por mulher para 1,8 até 2025. Existe até um incentivo fiscal para que as pessoas tenham mais filhos, que poderão, no futuro, manter o país economicamente estável.

Essa não é, entretanto, uma preocupação apenas do Japão: em vários países desenvolvidos, a taxa de natalidade tem diminuído, enquanto a estimativa de vida tem aumentado. Isso tem gerado países com uma grande quantidade de idosos e pouca mão de obra qualificada para manter toda a população.

A última pesquisa no Japão trouxe ao menos um alívio para o governo: por lá, a sociedade é muito patriarcal. Assim, normalmente a mulher abandonava o mercado de trabalho depois de ter o primeiro filho. Agora, a taxa de mulheres que retornou ao mercado ultrapassou pela primeira vez os 50%.