NOTA: PREFEITURA DE RIBEIRÓPOLIS COMETE APROPRIAÇÃO INDÉBITA

0
464

Cerca de 200 servidores de Ribeirópolis denunciam, através do Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos do Município de Ribeirópolis (Sintserv), graves problemas que estão enfrentando com arbitrariedades cometidas pela gestão municipal. Os trabalhadores estão registrados como devedores há dois meses na Caixa Econômica, graças ao não repasse dos valores de empréstimos consignados (aqueles descontados em folha dos servidores e creditados à instituição financeira) pela prefeitura, o que caracteriza apropriação indébita.  A categoria, apesar de ainda não ter sido inserida no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e Centralização de Serviços dos Bancos – Serasa – vem enfrentando vários impasses, pois a situação atual causa constrangimentos e inviabiliza futuros financiamentos feitos com a instituição.

É importante destacar que a não inserção dos servidores no SPC e Serasa ainda não aconteceu porque foi feito um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), no qual a Prefeitura sem comprometeu em resolver a questão, mas, de acordo com a presidente do Sintserv, Leina Gois Pina, o acordo não vem sendo cumprido. Também há queixas do sindicato sobre outra apropriação indébita feita pela Prefeitura, referentes aos valores das consignações. Por quatro meses, que totalizam, segundo o sindicato, aproximadamente R$7.500 reais, a Prefeitura vem retendo do servidor municipal os descontos em folha, referentes à contribuição sindical, sem fazer o repasse à entidade representativa da categoria, caracterizando, assim, mais uma ação de apropriação indébita.

Dessa forma, o Sintserv, que precisa arcar com custos operacionais, como contas de água, aluguel, energia, internet e demais gastos, está enfrentando dificuldades financeiras desde o final do ano passado. Ainda segundo o sindicato, uma reunião estava prevista para a manhã desta terça, 12, com o prefeito, João Francisco da Cunha, mas o mesmo não compareceu, assim como nenhum dos seus assessores, caracterizando, assim, mais uma atitude de desrespeito e descaso com a entidade e com os servidores do município.