Um programa baseado na lei federal brasileira nº 13.254, de 13 de janeiro de 2015, possibilitou que dinheiro que estava no exterior de forma irregular fosse trazido de volta ao Brasil por meios legais e anistiados, ou seja, sem nenhuma pendencia judicial. Com essa anistia, será repatriada a quantia de R$ 169,9 bilhões dos quais 49% devem ser destinados para Estados e Municípios.

Os municípios sergipanos como os dos demais estados serão beneficiados com parte desta vultuosa quantia que devem ser repassados através do FPM – Fundo de Participação dos Municípios. Em Sergipe os municípios receberão todos juntos o montante de mais de R$ 83 milhões.

SAIBA MAIS

Quanto receberá cada município de Sergipe?

Estes valores deverão ser uma porta de saída para as prefeituras que contarão com um recuso extra para a quitação em dias dos 13º salários dos servidores, preocupação de todo gestor em final de ano e principalmente em 2016 com a crise e a necessidade de fechar as contas para entregar aos novos gestores.

Em Umbaúba, município da região sul de Sergipe a cerca de 105 km da capital Aracaju, o aporte será de R$ 1.1 milhão, segundo calculo da Confederação Nacional dos Municípios. Aracaju, capital do estado, tem a previsão de receber R$ 15 milhões de parcela extra. Já Estância na região sul receberá quase R$ 2 milhões enquanto Lagarto receberá cerca de R$ 2,5 milhões.