O caso aconteceu na cidade de Manaus, capitado do estado do Amazonas quando, segundo informações, um policial e sua namorada estavam em um motel curtindo a vida amorosa.

MULHER EXPLODIUO Policial Militar Adelson Santos, de 43 anos foi com sua namorada, Jan Cleide Barros, de 32, curtir a vida em um motel da zona sul de Manaus, no Amazonas. O que aconteceu a seguir foi típico de filme de ficção científica.

“A mulher durante o ato sexual Jan Cleide passou mal e começou a esguichar sangue por todos os lados, pintando de vermelho até o teto do quarto. Ela explodiu, pelo menos foi essa a impressão que eu tive “, disse o policial ao jornal O Maskate. Adelson disse que ligou para a recepção, mas era tarde: Jan Cleide morreu em minutos.

Desesperado, Adelson foi até a casa da família da mulher explicar o inexplicável, mas não adiantou nada e ele foi preso sob suspeita de assassinato. Adelson insistia em dizer que era inocente e que a moça, sem que ele fizesse nada, “explodiu” durante o ato sexual.

Ninguém acreditava em Adelson.A polícia foi até o tal motel e, lá, descobriu a farda completa de Adelson, roupas e documentos da morta e o cadáver dela, nu, estirado no chão. O quarto, segundo consta, apresentava manchas de sangue em todas as paredes.

Causa da Morte

O policial só foi solto depois que saiu o laudo do Instituto Médico Legal, que apontou como causa da morte um acidente cardiovascular (AVC) externo. Houve uma hemorragia tão forte que as veias da cabeça da mulher não aguentaram a pressão e, de fato, explodiram.

INFO: Agências – com Blog do Jean