Uma jovem foi assassinada e teve seu corpo jogado dentro de uma Cisterna (cacimba) no interior sergipano. O suspeito de cometer o crime é o seu companheiro que se encontra em fuga. O fato foi registrado na manhã desta quarta-feira, (28), no Povoado Colônia Sergipe no município de Indiaroba, a 100 km da capital Aracaju.

Segunda a da vitima, Ana Claudia Souza Nunes 18 anos, foi vista pela ultima vez no domingo, (25) na companhia do companheiro José Alves Santos (Zé Alves) 47 anos saindo de um bar no final da tarde. Mais tarda, na noite do mesmo domingo, Zé Alves retornou ao bar de onde saiu por volta das 23h30.

Na segunda-feira, (26) Ana Claudia já não foi mais vista e nem a família conseguiu contato coma mesma. Preocupadas, sua mãe e sua irmã vieram de Nossa Senhora do Socorro para saber de noticias. Ao chegar encontraram o filho do Suspeito e mais um filho do casal de apenas 2 aninhos chorando e pedindo pela mãe.

Ao lado da cama havia sangue e cabelo e nada de Ana Claudia. “Quando nos chegamos na casa deles, onde ela lutou tanto para construir trabalhando até como servente só achamos um rastro de sangue e cabelo de minha filha e ela não esta. Eu já fiquei pensando: Meu Deus, o que será que aconteceu com ela”, disse a mães emocionada ao lado da cisterna que naquele momento servia de tumulo para o corpo de sua menina.

A mãe e a irmã decidiram então buscar informações com a família dele, Zé Alves. Lá, segundo elas, foram tratadas com frieza e um ar de “estou nem ai”. “Quando fui à casa da mãe dele e perguntei pela minha filha e pelo filho dela eles me responderam que não sabiam, pois os dois sumiram juntos. Perguntei novamente e eles então me disseram que não adiantava esconder, mas se calaram. Desesperada eu sai a procuram com minha outra filha e o pai dela, e foi bem quando ele desce na grota que sentiu o cheiro e dai tivemos certeza era ela”, nos contou a mãe.

Os Sargentos Freitas e Rocha da guarnição de Indiaroba foram os primeiros a chegar à ocorrência. Para eles, o fato de homicídio parecia esta explicito haja vista a condição e a situação do sangue e da ocultação do cadáver.

Os bombeiros, a perícia e o IML chegaram ao local para fazer a retirada, analise e o recolhimento do corpo por volta das 1h30.