Ouvir com webReader

O governador reeleito para o governo de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB) começou a escrever neste domingo, 05/10, mais um capitulo da sua longa trajetória política. Formado em Direito, ele já exerceu os cargos de vereador, prefeito de Aracaju, deputado estadual, deputado federal e assumiu o Estado em 2013 após a morte de Marcelo Déda (PT), de quem era vice. No ultimo domingo, Jackson tornou-se governador pela segunda vez ao vencer o Senador e candidato ao Cargo Eduardo Amorim (PSC) por diferença superior a 100 mil votos.

JACKUm episódio marcante da carreira de J.B foi o processo de impeachment que sofreu por suspeitas de corrupção quando era prefeito de Aracaju, capital sergipana, em 1988. Ele acabou se afastando do cargo para não ser cassado, mas nega as acusações e diz que foi vítima de “perseguição política por parte das viúvas da ditadura”.

Nascido em Santa Rosa de Lima (SE), em 1944, o pemedebista começou sua atuação política no movimento estudantil. Militou clandestinamente no PCB e foi preso por duas vezes.  A primeira vez que se elegeu pra um cargo público foi em 1972, quando entrou pra a Câmara dos Vereadores de Aracaju pelo MDB.

Dois anos depois, foi eleito deputado estadual e, em 1978, conseguiu seu primeiro mandato de deputado federal, sendo reeleito em 1982, 2002 e 2006 pelo PMDB. Ele passou, ainda, pelo PSB, PDT, PMN e PTB.

Na Câmara dos Deputados, Barreto se destacou quando elaborou, em 2009, uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que permitia a segunda reeleição para os cargos de presidente da República, governadores e prefeitos, sob realização de um referendo. Ele chegou a recolher 183 assinaturas, mas a proposta acabou sendo arquivada.

O peemedebista assume o segundo mandato com avaliação positiva de 29% da população de Sergipe, segundo pesquisa Ibope divulgada em agosto deste ano.