Não é novidade para ninguém que a música “Paredão Metralhadora” está na boca do povo, quase todos os artistas querem cantar o hit e que ela provavelmente será a música do verão e do carnaval de Salvador a exemplo do “Lepo Lepo – Psyrico”, mas nem todos concordam com isso e expressam sua discordância de modo impetuoso.

IVETE E SAULOO cantor baiano Saulo foi um dos que não quiseram botar o hit no seu repertório durante o Carnaval soteropolitano. O artista disse nesta sexta-feira (05) que não cantará a música. “Eu não, não por nada não, mas acho que ficaria sem graça tocar, todo mundo já toca, então a galera que vem aqui já sabe, deixa Saulo lá quietinho, ele é barbudo, ele pai de família”, argumentou, enquanto aguardava a saída do seu trio na Barra.

Questionado sobre o seu hit preferido da folia ele diz que torce para Ed City e Igor Kannário. “Torço para esses caras porque eu acho que a música da Bahia é cantada verdadeiramente por eles. ‘Pai, aqui não vê bicho com nada’, ‘E aí, é nós’, acho que eles representam e representar é tudo”, defende o artista que desfilou hoje mais uma vez sem cordas, depois de participar da abertura do Carnaval, no centro da cidade.

A declaração é claro, chateou muitos fãs da musica e do próprio cantor além de muitos entusiastas do axé Music, ritmo genuinamente baiano e parte indispensável daquele carnaval. “Saulo é um ser humano lindo! Respeito ele não querer cantar ‘Metralhadora’. Mas achei muito contraditório ele dizer que torce por Igor Kannário, um cara que praticamente em todas as (péssimas) músicas faz apologia a violência”disse uma internauta em uma rede social onde as notas circularam.

Em seu momento em cima do trio, Ivete Sangalo fez de forma discreta uma menção ao acontecido com Saulo. Em frente ao camarote da Band a baiana disse ser uma mulher de muitas oportunidades e que sempre canta uma musica sua como todos os artistas na oportunidade em frente as câmeras, mas dessa vez iria cantar uma que ela achava que era a música do carnaval.

Em seguida ela emendou: ‘’Eu acho que a gente as vezes dificulta a compreensão das coisas quando a gente sabe diferenciar e mesmo assim a gente opina só pra contrariar. Essa música ela não tem nada, como as fanfarras da década de 60 que tinham duplo sentido e a gente viveu cantando essas canções e isso não mudou nada. Não adianta o que se ouve, adianta como se comporta e agente precisa saber se comportar”, ressalta Ivete.

É fato que tanto o Saulo quanto a Ivete são dois ícones da musica baiana e que cada um com a sua legião de fãs defenderem pontos de vista diferentes faz bem para a cultura qe se diferencia ao invés de se generalizar. Partindo dessa discussão, qual a sua opinião. Quem dos dois tem razão sobre a metralhadora?

Deixe sua opinião nos comentários abaixo.