Umbaúba é um município que carrega em seu nome a homenagem feita em relação a uma arvore que existiu em abundância na região na época de sua povoação.  Não há que conte sua história sem passar pela história da “Cecropia obtusifolia” ou “Arvore Oca” no tupi.

Ultimamente porem, que vem fazendo a alegria dos umbaubenses admiradores das belezas naturais é um gigante amarelo. Com quase 30 metros e localizado próximo a uma baixada, bem no topo desta, o frondoso Ipê Amarelo ou Pau-d’arco-amarelo virou ponto de visitação e cenário para belas fotografias.

Depois de toda essa beleza de história me passou uma dúvida: É Ipê Amarelo ou Pau-d’arco-amarelo. Quem é mesmo esta beleza natural amarela toda florida Logo Ali?

Saiba mais sobre o Ipê Amarelo ou Pau-d’arco-amarelo

O ipê-amarelo (Tabebuia alba (Cham.) Sandwith) é uma árvore brasileira, heliófita, secundária inicial, nativa da Mata Atlântica, ela é considerada a árvore símbolo do Brasil, descrita inicialmente em 1832 por Chamiso como Tecoma alba. O nome alba se deve à coloração branca das folhas e ramos novos, devida aos pelos que as recobrem.

Outros nomes populares pelos quais são comumente chamadas são Ipê-amarelo, taipoca, Pau-d’arco-amarelo. O nome “Pau-d’arco” é uma referência a seu uso pelos povos indígenas do Brasil como matéria-prima para confecção de arcos

Uma das principais caraterísticas do Ipê Amarelo ou Pau-d’arco-amarelo, além de sua linda florada é a sua imensa altura que pode chegar à casa dos 30 metros, podendo ser visto de longe quando florido. Seu troco reto ou levemente tortuoso, sua casca externa grossa, cinza-rosa, com fissuras longitudinais esparsas e profundas, são outras de suas características.

O Ipê-amarelo possui copa alongada e alargada na base com raízes de sustentação e absorção vigorosas e profundas. Assim ela consegue passar fácil por períodos de estiagens prolongadas.

Árvore florida

Sua flores são bonitas e com seu tom em amarelo-ouro e um comprimento variando de  8 cm a 15 cm faz encher os olhos de quem a vê. Sua florescência dar-se normalmente no final de julho e vai até setembro, podendo ocorrer alguma variação devido a fenômenos climáticos. Como a espécie floresce no final do inverno é influenciada pela intensidade do mesmo, ou seja, quanto mais frio e seco for o inverno, maior será a intensidade da florada do ipê-amarelo.

As flores por sua exuberância, atraem abelhas e pássaros, principalmente beija-flores que são importantes agentes polinizadores. Segundo CARVALHO (2003), a espécie possui como vetor de polinização a abelha mamangava (Bombus morio).

Frutos

Seus frutos são cápsulas cilíndrica, secos geralmente , medindo de 15 a 30 cm e lembrando uma vagem. A planta é hermafrodita, e frutifica nos meses de outubro e novembro. Em cultivo, a espécie inicia o processo reprodutivo após o terceiro ano.

Remédio Bom

A casca dessas como de outras espécies tem propriedades medicinais. A casca é seca e fervida, fazendo um chá amargo ou ácido: o chá da casca interna de ipê (T. impetiginosa).

É um remédio erval usado tipicamente durante a gripe e a estação fria, facilitando, ainda, a tosse do fumante. Trabalha aparentemente como expectorante, estimulando, através da tosse, que os pulmões se livrem do muco contaminado.

Curiosidade

As flores do ipê branco e amarelo podem ser utilizadas na alimentação tanto cruas quanto cozidas/fritas.

veja publicações de internautas que já deram uma passadinha pelo local

serão 1450 metros saindo do Portal Alarde, ou da praça Anfilófio Fernandes Viana (Praça do Cuscuz) até chegar lá.