Na manhã desta quinta-feira (11), a Superintendência Regional da Policia Federal de Sergipe realizou a Operação Gaivota e prendeu em flagrante um técnico ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Ele é suspeito de cometer crime de corrupção passiva.

Segunda a polícia, o técnico teria solicitado 10% do valor da multa de R$ 120 mil, que tinha sido aplicada em auto de infração a uma pousada-restaurante, no município de Neópolis (SE), sob o pretexto de reduzi-la na fase recursal. A prisão aconteceu no momento em que o técnico ambiental recebia parte da propina cobrada ao representante do ponto comercial.

O delegado de Polícia Federal, Robert Nunes Teixeira, que o flagrante ocorreu com a ajuda do empresário. “Ele nos procurou e denunciou o fiscal que estaria tentando obter vantagem na cobrança da multa. Foi marcado um encontro para esta quinta-feira, a autoridade policial estava presente, acompanhou e percebendo a entrega de um envelope ao fiscal. Ao ser abordado encontramos com ele R$ 2.600 entregue pela vítima”, informou.

Segundo o delegado, a vítima disse que resolveu denunciar porque se sentiu constrangida, coagida e até mesmo ameaçada. “Preocupada com o que poderia acontecer com o empreendimento”, conta.

Robert Nunes disse ainda que até o momento não há indícios da atuação de outras pessoas no crime, mas as investigações vão continuar. Quando a tramitação no IBAMA, ele conta que o processo transcorria de forma adequada.

O suspeito foi conduzido a sede da Polícia Federal, em Aracaju (SE), onde foi indiciado pelo crime, que tem o Código Penal, com pena de 2 a 12 anos de reclusão, além de multa. Até o momento o IBAMA não se pronunciou sobre a prisão do servidor.