Ouvir com webReader

Um grupo de 14 homens armados assaltou a agência do Banco do Brasil, na cidade do Conde (distante 179 km de Salvador), na manhã desta terça-feira, 02/05, por volta das 11h.

CONDE 2De acordo com as testemunhas, os bandidos conseguiram fugir da agência com seis reféns. Dentre eles, dois gerentes e dois seguranças da agência bancária, além de dois clientes. Outras três pessoas foram feitas reféns já na estrada após o assalto.

Um cliente do banco, presente no momento do assalto, relatou que os criminosos invadiram a agência com as armas nas mãos e anunciaram o assalto.

Depois de destruírem a tiros a porta de vidro que dá acesso ao interior do banco, o bando fez os homens tirarem as camisas, darem as mãos e formarem uma corrente/escudo para evitar a ação da polícia. “Foram uns 30 minutos de agonia”, lembrou o cliente, que preferiu manter o sigilo sobre sua identidade.

CONDE 1Antes da fuga, os seguranças foram amarrados no capô de dois dos carros, com cordas roubadas de uma loja de material de construção, vizinha ao banco, que também acabou sendo assaltada.

Os criminosos chegaram na cidade local em duas picapes Hilux (Toyota), uma branca e outra preta. Os bandidos ainda levaram o carro de um dos gerentes.

Ainda há informações que os bandidos chegaram na cidade do Conde já com outros reféns no fundo de uma das picapes. Eles teriam sido sequestrados na região do município de Catu.

O clima de pânico tomou conta da população durante a ação criminosa, como pode ser visto no vídeo encaminhado por um leitor do Portal Alarde.

Refens …

As nove pessoas que foram feitas reféns durante assalto à agência Banco do Brasil da cidade do Conde, na Linha Verde, foram soltos e passam bem. Todos já estão de volta à cidade. A ação aconteceu na manhã desta quinta-feira, 2.

Eles foram libertados na entrada da localidade de Costa Azul, a cerca de 27 km da cidade. “Foi tudo muito bem planejado. Eles bloquearam uma ponte, pondo fogo em um dos carros e nos deixaram em um local onde não pega celular”, conta uma das vítimas que prefere não se identificar.