Temperaturas mais amenas são corriqueiras nesse período de outono/inverno no estado de Sergipe onde o sol reina imperioso aquecendo a tudo e a todos quase o ano inteiro. O frio é mais acentuado entre os meses de julho e agosto, mas nunca com temperaturas tão baixas como estas de 2017 que acabou pegando a todos de surpresa.

O Município de Umbaúba no sul de Sergipe, por exemplo, viu sua temperatura cair gradativamente desde o final de junho e isso vem causando desconforto a população que não esta muito acostumada a isso. As temperaturas já bateram até agora a casa dos 18° registrados na madrugada da ultima terça-feira (04), o que pode ser considerado alto para um município que tem durante o ano máxima de 37°.

Para Overland Amaral, coordenador do Centro de Meteorologia Sala de Situações da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), o frio que não é muito comum para os sergipanos deve permanecer no decorrer de todo esse mês de julho até agosto. Essas máximas estarão bem mais baixas da metade para o final de julho quando os dias registrarão 27° de máxima com as mínimas sendo atingidas nas madrugadas em torno de 16°.

Outros Municípios

No interior do Estado as temperaturas serão ainda mais frias, chegando a marcar entre 14° e 15° especialmente em regiões de alta altitude, como no município de Simão Dias, e no Povoado Palmares, em Riachão do Dantas e, também, nas cidades de Carira e Nossa Senhora da Glória. “As frentes frias que chegam com rajadas de vento são características típicas da estação de inverno, assim como outros fatores que são as quedas acentuadas de temperaturas. Todas essas características do inverno devem continuar acontecendo até agosto”, explicou Overland Amaral.

Chuvas

Além do frio também será constante a ocorrência de chuvas neste mês de julho e em agosto. De acordo com Overland Amaral, a quantidade de chuva que caiu no Estado de Sergipe no último mês foi acima da média climática. Ou seja, em Aracaju, onde a média é de 220 milímetros de água de chuva, chegou a 340 milímetros.

No agreste, onde a média é de 160 milímetros, a quantidade de chuva chegou a marca de 180 milímetros de água. Já no alto sertão, cuja média é de 110 milímetros, choveu 150 milímetros. “Já deu para atenuar a situação da seca e regularizar o abastecimento dos principais açudes, como Jacarecica 1 e 2, Ribeira e Cajaíba [Agreste Central], Dionísio Machado [em Lagarto], e Jabibeiri, que fica em Tobias Barreto. Estavam extremanente exauridas e agora estão plenas, cheias com as chuvas”, disse Overland Amaral.

Segundo ele, a barragem do Rio Poxim, que tanto controla o abastecimento de Aracaju, como faz o controle de enchentes (vazões para que não hajam desabamentos prejudiciais), também está regular.