Como se não bastasse o 7 a 1 que tomou na última quarta-feira em Estância jogando com reservas e juniores, o Frei Paulistano pode se complicar ainda mais no Campeonato Sergipano. É que nesta partida contra o Boca Júnior o clube foi acusado de ter escalado doze jogadores irregulares, dos dezoito que estiveram relacionados para o jogo no Francão, o equivalente a mais de 65% do total de atletas.

Boca Júnior x Frei Paulistano (Foto: Reginaldo Goveia/FSF)
Boca Júnior goleou o Frei Paulistano na última quarta em Estância: 7 a 1 (Foto: Reginaldo Goveia/FSF)

A suposta irregularidade chegou à Federação Sergipana de Futebol na última quinta-feira, ou seja, um dia após a derrota do time de Frei Paulo. O GloboEsporte.com entrou em contato com o departamento técnico da entidade que afirmou que recebeu a denúncia, mas devido ao feriado desta sexta, só na próxima segunda-feira é que será investigada a veracidade da acusação, analisando a súmula da rodada atentamente. Caso encontrem alguma irregularidade, aí sim a queixa será oficializada e o clube será julgado pelo Tribunal de Justiça Desportiva de Sergipe (TJD/SE).

E aí, o que acontece com a equipe? Se for punido pelo TJD/SE, o Frei Paulistano pode perder pontos referentes à uma vitória, no caso, três. Além disso, o clube da cidade de Frei Paulo também poderá receber uma multa em dinheiro, que varia de 1 mil a 10 mil reais.

Como tudo começou

Problemas financeiros pesaram para o rendimento do Frei Paulistano cair no hexagonal. Com isso, alguns jogadores foram embora, a exemplo do goleiro Manga, o zagueiro Renê e mais recentemente o meia-atacante experiente Carlinhos Bala . E, na tarde desta quarta-feira, surgiu a informação de que os jogadores que vinham sendo titulares não entrariam em campo contra  o Boca Júnior, no Francão, devido aos salários atrasados. O presidente confirmou a “greve”, conversou com os atletas para que repensassem o protesto, mas somente o goleiro repensou a atitude. De nada adiantou, time recebeu um chocolate de páscoa antecipado.