O Brasil bate recordes anuais de mortes por homicídio e isso já esta sendo considerada por especialistas como uma epidemia. Segundo números apresentados pelo Ministério da Saúde tendo como base o ano de 2015, foram registrados 60.039 homicídios, as chamas Mortes Violentas. Esses números são mais ou menos o que a Síria, país que esta em guerra apresenta por ano.

No período entre 2000 e 2015 o numero medido é aterrorizante chegando a 853.850 mortes por homicídio. As mortes violentas sofreram aumento significativo em 20 estados brasileiros, principalmente nas regiões Norte e no Nordeste onde está a maior taxa de assassinatos mesmo com a maioria dos estados reduzindo seus índices.

As exceções ficam por conta dos estados de Pernambuco e do pequeno estado de Sergipe tido pelo levantamento como o campeão da violência em 2015. A taxa de homicídio em Sergipe é foi de 58 mortos para cada 100 mil habitantes. Este numero é praticamente o dobro da média nacional que registrou 30 assassinatos parar 100 mil habitantes do país.

O pesquisado do Núcleo de Estudo da Violência (USP), Bruno Paes Manso afirma que, “o aumento da violência nos estados do nordeste que sempre foram os de menor índice esta associado ao desequilíbrio causado principalmente pela chegada de organizações que introduziram o trafico na região criando-se assim grupos que passaram a concorrer entre si causando assim a dinâmica de assassinatos”.

O Promotor de Justiça Djaniro Jonas completa dizendo que diretamente o Ministério Publico identificou que 70% das mortes são ligada ao trafico de drogas.

Toda essa violência segundo a matéria exibida pelo Jornal da Globo com base no estudo não é praticada somente pelas organizações criminosas (embora elas sejam amplamente maioria), mas também pela Policia. Nas imagens em que aparecem pessoas falando da perda de seus entes querido, uma mães relata a morte de seu filho de 17 anos e acusa um Policial Militar de ter executado seu filho de nome David Filipe Mota Santos.

Segundo relatos ele saiu da loja da mãe na Garupa da Moto de um amigo para almoçar e ao passar por um carro de policia na rua foi assassinado com requintes de execução. “De frente a frente com a viatura da policia o policial foi logo falando – era você mesmo seu viadinho – e já foi atirando. Quando eu cheguei no local realmente eu encontrei o meu filho já morto”, disse Vanusa da Mota, mãe de David.

SERGIPE ÉO ESTADO MAIS VIOLENTO DO BRASIL SEGUNDO MINISTÉRIO D…

FILHO DE PM É ASSASSINADO POR OUTRO PM

Publicado por PORTAL ALARDE em Quarta, 31 de maio de 2017

A cena foi descrita pelo amigo da vitima Leonardo que prestou depoimento na delegacia e no Ministério público e no inquérito militar que apura o caso, tonando-se a principal testemunha, mas cerca de 08 meses depois o corpo de Leonardo foi encontrado sem vida com as digitais arrancadas e parcialmente queimado. O reconhecimento do corpo só foi possível por que depois da morte do amigo, Leonardo tatuou o nome de David nas costas e essa parte do corpo ficou intacta.

O policial responde na justiça por Homicídio Doloso, mas três anos depois apenas duas audiências foram realizadas e as testemunhas não compareceram deixando em desespero os familiares e principalmente o Pai Djalma, policial militar que não de conforma de ter perdido seu filho nas mãos de homens que usam a mesma farda que ele.