Os infartos – bloqueio do fluxo sanguíneo para o músculo do coração – aumentam 30% durante o inverno, com temperaturas médias abaixo de 14ºC, em comparação com o verão. O alerta é do professor associado da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) Luiz Antônio Machado César, diretor da Unidade de Doença Coronária Crônica do Instituto do Coração (Incor).

Vacinação contra gripe

“Por isso, quando se vacinam as populações contra a gripe, o idoso é prioridade, porque a medida reduz a taxa de infarto na população idosa. Uma inflamação por causa de uma infecção grave, como a gripe, tendo ou não pneumonia associada, é um motivo para ter infarto.”

Além dos três motivos apontados pelo professor, regiões em que há concentração de poluição, como a capital paulista, têm um fator a mais que favorece o surgimento de complicações cardíacas. ?No caso de São Paulo, tem a poluição que aumenta. E existe uma relação: mais poluição, mais infarto”, ressalta.

O cardiologista alerta que estudos indicam ainda que o frio pode fazer elevar também a ocorrência de acidente vascular cerebral (AVC), ou derrame.

*As informações foram retiradas da Agência Brasil