Por muitos e muitos anos, muitos e muitos homens de variadas famílias, mesmo que saibamos que isso possa parecer (e é banal) homens por todo o mundo, se questionam sobre o tamanho de seus pênis. A dúvida é tão recorrente que tem sido tema de diversas pesquisas ao longo dos anos.

O estudo mais coeso, enfim, parece ter sido feito. Especialistas do Reino Unido se juntaram para analisar medições feitas em 15,5 mil homens. O trabalho foi distribuído em 17 pesquisas distintas e considerou os dois elementos principais que definem o tamanho: o comprimento em si e a circunferência.

O diferencial desta pesquisa é que as genitálias realmente foram medidas. Em praticamente todos os outros estudos, cada entrevistado respondia o valor que quisesse – e poderia mentir ou não saber o tamanho exato, é claro.

Publicada na revista acadêmica de urologia “BJU International”, a pesquisa recebeu o título “Eu sou normal?”. Autoexplicativo, o nome resume o estudo: a ideia é mostrar para todos em que situações o tamanho do pênis é normal. 

Há pessoas que sofrem de dismorfofobia, que é uma fobia de ter algum defeito corporal. Crises de ansiedade podem se desenvolver em quadros de dismorfofobia. Ou seja, se tamanho não é documento, também não é brincadeira.

Tamanho médio do pênis

A pesquisa aponta o comprimento e a circunferência médios do pênis em suas duas situações naturais: flácido e ereto.

De acordo com a análise, o comprimento médio de um pênis flácido é de 9,16 cm. Esticado, é de 13,24 cm. Já ereto, a média chega a 13,12 cm. A circunferência, também em média, fica entre 9,31 cm (flácido) e 11,66 cm (ereto).

Apenas 5% dos homens analisados tinham um pênis maior do que 16 cm quando estava ereto. Ainda segundo a pesquisa, somente um em cada 500 homens tem o órgão com 23 cm e apenas um em cada 10 mil consegue atingir a marca de 25 cm. Apesar da média ser de 13,12 cm, a grande maioria (75%) fica na casa dos 15 cm quando ereto.

Mitos

Com tantos dados proveitosos, os pesquisadores aproveitaram, também, para estudar se algumas crenças populares relacionadas ao tamanho do pênis são reais ou apenas mitos.

A primeira teoria estudada é a relação do tamanho do pênis com o do pé. Não foi necessário muito esforço com os dados para que os estudiosos chegassem à conclusão de que não há nenhuma relação entre o porte da genitália com o de qualquer outro órgão do corpo.

Outra crença popular, que traça uma relação entre o tamanho do pênis e a cor de pele, também foi quebrada. Não há conexão entre o porte da genitália masculina e a etnia de qualquer pessoa.