O Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação, Seleção e Promoção de Eventos (Cebraspe), da Universidade de Brasília (UnB), está fora do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2017. Há a informação de que a prova deste ano deverá ser organizado pelas fundações Getulio Vargas (FGV), Cesgranrio e Vunesp. as informações são de fontes ouvidas pelo jornal Metrópoles que revelaram que os acordos do Ministério da Educação (MEC) com essas instituições estão praticamente concluídos.

A diretora de Gestão e Planejamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Eunice Santos, repassou essa informação ao Metrópoles, em primeira mão, nesta quinta-feira (6/4). “O contrato administrativo, celebrado em 2016, com vigência anual, terminará em junho e não será renovado. Isso já foi decidido, e o Cebraspe, notificado”, disse.

Desde 2014, Cebraspe e Cesgranrio dividem a organização do Enem, que envolve elaboração, logística de distribuição, segurança, preparação das equipes, aplicação e correção das provas do Enem em todo o país. No entanto, nenhuma das duas instituições passou por processo licitatório. Amparando-se em acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU), foram contratadas diretamente pelo MEC devido à expertise que têm em realização de concursos.

Ao confirmar a exclusão do Cebraspe do processo, Eunice Santos não quis dar nomes de possíveis substitutos nem adiantar a forma de contratação. Mas, nos bastidores das instituições e dos órgãos federais da área de educação, a nova reorganização já é conhecida. A Cesgranrio ficará com 80% do contrato e FGV com os outros 20%.

Responsável pela aplicação das provas de vestibular da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), a Fundação Vunesp deve ficar responsável pelas redações. Tarefa que, por si só, é bem trabalhosa. Para se ter ideia, em 2016, foram corrigidos textos escritos por 6,1 milhões de estudantes. Destes, 77 tiraram nota máxima e 291.806 zeraram a prova discursiva.

“Estamos adotando todas as providências administrativas para garantir o Enem 2017, com eficiência e segurança jurídica”, resumiu Eunice Santos, desconversando sobre as possíveis substitutas do Cebraspe.

Saiba tudo na matéria completa do Metrópoles clicando no link a seguir: Metrópoles.com.br