A Câmara dos Deputados aprovou por 450 votos a favor, um contra e três abstenções na madrugada de (30/11) o texto-base do Projeto de Lei (PL) 4.850/16, que trata das medidas de combate a corrupção.

O ponto que mais gerou divergência foi a inclusão no texto da previsão de crime de responsabilidade a juízes e a promotores, o que hoje não é previsto. A proposta chegou a constar no relatório de Lorenzoni, mas foi retirada após o deputado se reunir com integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato.

Entre os deputados que votaram para a provação desta PEC estão os deputados sergipanos que representam vários partidos , mas votaram favorável a PEC com suas alterações que incluíram a punição a juízes e MPF quando for entendido que eles exageraram em seus direitos de lei.

Como os demais deputados, o voto dos parlamentares sergipanos representou, segundo autoridades no assunto, uma desconfiguração da proposta inicial.

São eles:

Adelson Barreto (PR)

Fábio Mitidieri (PSD)

Fábio Reis (PMDB)

João Daniel (PT)

Jony Marcos (PRB)