Servidores da Companhia de Saneamento de Sergipe (DESO) estão de braços cruzados nesta terça-feira (11). A paralisação de 24h tem o objetivo de alertar a sociedade sergipana para uma possível privatização da Deso.

De acordo com o presidente do Sindicato dos servidores da Deso, Sérgio Passos, nos próximos 100 dias estará sendo realizado um estudo na Deso para que seja enviado ao Governo, que depois decidirá a viabilidade da privatização. “Nesse período, toda terça-feira acontecem reuniões aqui na Deso para avaliação do estudo, então toda terça vamos fazer uma manifestação na porta da Companhia para que a população fique alerta sobre o perigo da privatização”, destacou.

Sérgio Passos também relatou que caso ocorra a privatização haverá demissão em massa. “Hoje temos quase 1.400 servidores e numa possível privatização, de imediato, pelo menos 300 funcionários seriam demitidos”, afirmou o presidente do Sindicato que continuou. “Além disso, empresas privadas só visam lucro, o que prejudicaria o abastecimento de alguns municípios carentes atendidos pela Deso, já que não são lucrativos”.

Outro ponto citado pelos manifestantes é o encarecimento das contas de água, um aumento que segundo eles, poderia chegar a 33%, já que como se trataria de uma empresa privada teria que pagar alguns impostos a mais.

Os motoristas devem ficar atentos ao trafegarem na rua Campo do Brito, pois com a manifestação o trânsito estará em meia pista durante a manhã.