Uma confusão na manhã dessa quinta-feira, (20) movimentou além do necessário e de forma hostil o ambiente da Feira da Agricultura Familiar que se realiza todas as quintas, já há 04 anos. Fixada na travessa Leandro Maciel, ao lado do mercado de Carnes Brancas, a feirinha proporciona o sustento de 17 agricultores familiares que, seguindo o que preconiza o projeto, comercializam apenas o que produzem.

Na manhã de hoje, um problema que já vinha crescendo explodiu de vez, quando ao serem notificados pela Prefeitura para retirar suas mercadorias e barracas do local e migrarem para outra praça, comerciante entraram em atrito com os fiscais do município. Muitas pessoas que passavam e que com frequência compra no local se aglomeraram para ver o que acontecia e filmaram e fotografaram um comerciante que aos gritos dizia que dali não sairia.

“Daqui eu não saio e quero ver que me tira, pois você não é ninguém. Só saio daqui se Marcinho mandar. Tem que ser cumprido o que foi prometido na reunião”, dizia de forma agressiva o feirante.

Em dado momento os ânimos se exaltaram e uma faca foi mostrada pelo feirante gerando pânico tanto nos agricultores familiares que permaneciam do outro lado da rua assistindo a confusão e sem poder descarregar suas mercadorias do caminhão, quanto para as colegas do feirante exaltado. Do outro lado, os feirantes tradicionais reclamavam de truculência dos fiscais do município e dizia que “aquilo era uma afronta pois pagavam impostos e tinham o direito de estar ali” direito que segundo eles estava sendo retirado pelo município

Dona Raimunda, uma das colegas do feirante, passou mal e foi levada para o Hospital do município de ambulância. A policia foi acionada, mas ao chegar não encontro mais o comerciante armado e ordenou que tanto ele quanto o fiscal fossem até a delegacia afim de se pronunciarem e gerar Boletim de Ocorrência.

Dona Simone, agricultora Familiar e comerciante na feirinha cobrou melhorias na regulamentação da feirinha, pois isso é o de extrema importância social para eles. “Foi pedido paciência pra gente até depois do recesso, mas de lá para cá nada mudou. Não queremos que as outras bancas acabem, que deixem de vender, que desarmem e desapareçam, não, não queremos isso, queremos apenas a nossa quinta-feira de volta como sempre foi a 04 anos e as nossas bancas dando condições de vender nossos produtos” afirmou.

Além dos fiscais, um secretário municipal e diretor da secretaria da agricultura esteve no local e viu de perto a problemática, mas nada pode fazer ao que se viu, pois as bancas continuaram lá, sem que os feirantes desarmassem. Na manhã dessa terça-feira, (18) foi realizada na sede da Secretaria Municipal de Agricultura do município de Umbaúba uma Reunião para a discussão da revitalização e ampliação da Feira da Agricultura Familiar do Município. A reunião teve na coordenação a presença do COMSEAM do município na pessoa de seu presidente Roberto Menezes.

Criada em 2010 pela Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e Desenvolvimento Social (Seidh), em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), a feira comercializa produtos variados como frutas, verduras e legumes convencionais e sem agrotóxicos. No modelo empregado, a prefeitura através de sua secretaria responsável (em Umbaúba a de Agricultura) é a responsável por entregar a logística necessária. O Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (COMSEAN) é o órgão fiscalizador que garante o cumprimento do acordo parceiro.

A feira que foi criada para ser a melhor forma de intercambio entre o produtor familiar, que na feira faz o papel de comerciante entregando direto ao consumidor, gerando renda, sustentabilidade e crescimento social e o consumidor que pode adquirir um produto de qualidade e fresquinho. Essa relação porem vem virando um problema para os agricultores que já chegaram a ter que vender seus produtos no chão por não ter acessos as bancas padronizadas. Além disso, ainda tem que concorrer de forma desleal com os feirantes que comercializam na feira livre que acontece na segunda e armam suas barracas o resto da semana de frente para a feirinha a agricultura familiar, se aproveitando do sucesso de público da feira e pondo em risco o projeto que diz que não podem haver nenhum outro disponde comercio no local da feira que acontece todas s quintas-feiras em Umbaúba a 04 anos.

Os agricultores esperam que providencie sejam tomadas por parte da administração e que seja breve, garantido a eles o que esta no acordo firmado. “Queremos que nossos direito sejam garantidos como ficou no acordo, como foi prometido na reunião dessa terça-feira, pois ali é o nosso emprego, é o nosso ganha pão e tá cada dia mais difícil pois parece que falta quem mande na organização ou tem muita gente mandando e nosso direito sumindo” concluiu dona Simone.