Os médicos da rede municipal deram início nesta terça-feira, 26, a uma greve por tempo indeterminado, mas só paralisarão efetivamente as atividades na próxima terça-feira, 3, atendendo ao pedido da Secretaria Municipal de Saúde  (SMS) por mais uma semana para avaliar às reivindicações da categoria. Segundo João Augusto, presidente do Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe (Sindimed), a categoria permanece sem acordo referente à tabela unificada dos médicos.

Conforme o sindicalista, a gestão municipal não chegou a um consenso com a classe médica, alegando impasses financeiros e até mesmo eleitorais. “Consultamos um procurador e ele descartou qualquer impasse eleitoral no que tange as soluções com os médicos”, disse João Augusto. Ele afirmou ainda que a SMS e Seplog pediram até a próxima segunda-feira, 2, para avaliar a situação financeira e dar uma resposta ao Sindimed.

“A greve já teve início, mas decidimos que, para não prejudicar a população durante essa semana, só vamos paralisar os serviços na terça-feira, 3. Caso a SMS apresente uma proposta que atenda nossa pauta, na quarta-feira voltamos ao trabalho, caso não, a greve seguirá por tempo indeterminado”, esclareceu João.

O principal ponto da pauta dos médicos é com relação à igualdade de pagamento por hora trabalhada na tabela dos médicos. “Nós queremos a uniformização da tabela de pagamento dos médicos. Ou seja, existem médicos hoje que recebem determinada quantia por trabalhar 40h, enquanto os que trabalham 20h, quando deveriam receber metade do que o outro, acabam recebendo o salário com defasagem de 35%. Está desproporcional”, afirmou o sindicalista.

Sem Estrutura

O médico Rubens Araújo Carvalho está atendendo os pacientes da Unidade de Saúde João Bezerra, localizada no Povoado Areia Branca, em Aracaju, embaixo de uma árvore.

Devido a precariedade do consultório onde atende os pacientes, o médico colocou a mesa embaixo de uma mangueira e atendeu os pacientes ao ar livre. A Unidade de Saúde João Bezerra é de responsabilidade da Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

Prefeitura

A Secretaria Municipal do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplog), que também foi representada na reunião durante a manhã, confirmou que a gestão municipal solicitou uma semana para realizar uma avaliação financeira e dar uma resposta aos médicos. Segundo a assessoria de comunicação, a expectativa é de que se tenha uma resposta positiva no sentido de atender integralmente ou parcialmente as reivindicações referentes à igualdade no pagamento por horas trabalhadas dos médicos, independentes das especialidades.