A passagem do veterano dos palcos Fabio Junior, famoso por suas músicas e por ser exemplo de homem pegador (haja vista seus tantos casamentos) no Brzilian Day em Nova York, evento organizado na medida pela Tv Globo internacional, não passou despercebido no ultimo final de semana. Transmitido ao vivo pelo canal Muti Show, o evento teve como ponto fulminante (não culminante, fulminante mesmo) o momento em que Jorge Tadeu, (Ops), Fábio Junior, proferiu suas palavras de descontentamento contra o governo brasileiro

FÁBIO JUNIORO cantor Fábio Júnior protestou contra a “desordem e a roubalheira” no Brasil e estimulou um coro que xingando a presidente Dilma Rousseff o apoiou e foi apoiado..

“O que é que está escrito na nossa bandeira? Ordem e progresso. Mas vocês sabem o que é que está acontecendo no Brasil, né? Desordem e roubalheira. É uma quadrilha”,  disse ele.

Ele disse também ter “o maior orgulho” de vestir a bandeira do país, “mas às vezes eu tenho vergonha alheia, sabe? De ver os nossos governantes lá… Todo mundo roubando, todo mundo metendo a mão. E eu querendo ser brasileiro, querendo agradecer onde eu nasci, o país em que eu acredito, as pessoas…”. “Dilma, Lula, Zé Dirceu, PMDB, vocês não tem mais o que fazer, não, porra?”, completou.

Quando o público passou a gritar: “Ei, Dilma, vai tomar no cu”, ele direcionou seu microfone para o coro em sinal de apoio.

No final ele fez ainda uma referência à deficiência do ex-presidente Lula: “Vocês sabem onde tá aquele dedinho que o Lula perdeu, né? Onde é que ele enfiou, né? No nosso! E dói viu, dói muito”.

Nem todos que assistiram ao vídeo saíram em apoio ao modo que o artista se dirigiu e incentivou seu público contra autoridades constituídas do país que ele afirma amar em terras estrangeiras. Para o público ele como artista é responsável pelas ações do seu público.

“Todo brasileiro um dia, já gostou nem que seja de algumas músicas do Fábio júnior e independente do partido politico dele, gosta e respeita o ser artístico que ele é. Essas atitudes porém, desagrada a muitos quando veem a pessoa do artistas utilizar-se dessa forma de educação (social e não escolar) para com outro ser, seja ele quem for. Ele tem todo o direito de se revoltar, mas incitar o público (que diga-se de passagem é bem pior que ele na educação) a proferir ofensas como as feitas em rede mundial chega a ser imoral da parte dele”, disse um leitos em rede social.