Morreu aos 90 anos de idade o líder revolucionário cubano Fidel Castro. A noticia foi dada neste sábado, (26) pelo seu irmão o presidente de Cuba Raúl Castro em um discurso pela televisão estatal.

“Com profunda dor é que compareço para informar ao nosso povo, aos amigos da nossa América e do mundo que hoje, 25 de novembro do ano de 2016, às 22h29, faleceu o comandante da Revolução Cubana, Fidel Castro Ruz”, disse Raúl Castro, visivelmente emocionado.

O presidente cubano disse que o corpo do líder histórico da Revolução será cremado, segundo sua “vontade expressa”, e que nas próximas horas divulgará ao povo a “informação detalhada sobre a organização da homenagem póstuma a Fidel”.

As últimas imagens de Fidel Castro são do último dia 15, quando recebeu em sua residência o presidente do Vietnã, Tran Dai Quang; e a última vez que ele foi visto em um ato público foi no dia 13 de agosto, por ocasião da comemoração de seu 90º aniversário, em um evento no Teatro Karl Marx, em Havana.

Naquela ocasião, Fidel apresentou um semblante frágil, vestido com um moletom branco e acompanhado pelo seu irmão Raúl e o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. Desde seu aniversário, recebeu também em sua residência outros líderes, como o presidente do Irã, Hassan Rohani; de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa; e os primeiros-ministros do Japão, Shinzo Abe; da China, Li Keqiang, e Argélia, Abdelmalek Sellal.

Em abril, durante o XVII Congresso do Partido Comunista de Cuba, Fidel Castro também reapareceu e fez um discurso que soou como uma despedida, onde reafirmou a força das ideias dos comunistas. “A hora de todo mundo vai chegar, mas ficarão as ideias dos comunistas cubanos, como prova que neste planeta se trabalha com fervor e dignidade, é possível produzir os bens materiais e culturais que os seres humanos necessitam, e devemos lutar sem descanso para isso”, afirmou Fidel Castro na ocasião.

TEMER E DILMA SOBRE FIDEL

O presidente Michel Temer se pronunciou sobre a morte do líder cubano Fidel Castro, na manhã deste sábado. “Fidel Castro foi um líder de convicções. Marcou a segunda metade do século XX com a defesa firme das ideias em que acreditava”, afirmou Temer, em nota enviada por sua assessoria de imprensa.

Já a ex-presidente Dilma Rousseff afirmou, por meio de texto publicado na internet, que é “motivo de luto e dor” a morte do líder cubano.

“Era uma das mais influentes expressões políticas do século 20” e “visionário que acreditou na construção de uma sociedade fraterna e justa, sem fome nem exploração, numa América Latina unida e forte”, diz parte do texto.

De acordo com Dilma, o ex-presidente cubano soube “unir ação e pensamento, mobilizando forças populares contra a exploração de seu povo” e conseguiu se tornar um ícone para a juventude ao redor do mundo.

Ela encerra a nota com uma saudação: “Hasta siempre, Fidel!”

FIDEL CASTRO

Fidel Castro nasceu em Cuba em 1926, filho ilegítimo de Ángel Castro, um rico fazendeiro. Na escola, ele foi um menino inteligente, mas não um estudante excepcional. Sua maior paixão foi o esporte, onde se destacou (na foto ele é escolhido o atleta da escola de ensino médio Belen, em 1945).

O despertar da consciência política se deu quando estudou Direito na Universidade de Havana, envolvendo-se em diversas atividades de grupos de esquerda. Em 1947, ele integrou uma expedição militar para tentar derrubar o ditador da República Dominicana. A tentativa de golpe falhou e ele retornou a Cuba. Em 1948, Castro se casou pela primeira vez com Mirta Díaz Balart, de uma rica família cubana. Um dos presentes de casamento que recebeu foi uma soma generosa de US$ 1 mil (uma pequena fortuna na época) do general Fulgencio Batista, amigo da família Balart.