Ouvir com webReader

Os sergipanos estão contando os dias para a chegada dos festejos juninos no estado que é considerado “O País do Forró”. O titulo se deve divido ao grande quantidade de festas regadas a muito forró espalhadas pelos quatro cantos do estado.

SALVA JUNINAUm dos municípios que ajudam a disseminar essa tradição é o município de Estância no sul sergipano. O município é dono de um dos maiores arraiais do estado e de quebra é marcado pelas belas disputas nas corridas de barco de fogo e de espadas de fogo, que ajudam a iluminar as noites de São João estancianas.

A expectativa é grande, na maior festa junina do interior do estado e para aguçar o desejo dos forrozeiros a prefeitura de Estância realiza todos os anos a “Salva Junina”, uma espécie de abertura oficial dos trinta dias de festejo que ocorrem em Estância nesse período.

A programação do dia 31 de maio, data da salva, terá início às 19:30h com o Arrastão Folclórico, saindo da igreja do Bairro Santa Cruz, em seguida na Praça Barão do Rio Branco, no Centro, haverá a Benção da Fogueira, com o hasteamento da Bandeira de São João, corrida de Barco de Fogo e apresentação de Espadas.

Considerada a Capital Brasileira do Barco de Fogo, Estância não poderia deixar uma festa dessas começar sem uma musica da boa, um tradicional forró pé de serra. E para isso, quem alegrará a salva de abertura será o forrozeiro Adelmário Coelho, artista baiano que se destaca por sempre tratar de temas ligados ao amor, sentimento tão especial que une corações e casalzinhos apaixonados.

Outras atrações que encherão a noite junina de alegria serão as bandas Raio da Silibrina, Forró da Folha e Eugênio Bispo. A grande festa começara às 21h, no forródromo.

Para atender a todos os públicos, os festejos juninos de Estância, este ano, terá um leque de novidades que buscam enraizar a essência cultural do evento, além de buscar unir o tradicional ao moderno. Segundo a administração, a meta é privilegiar o nativo e o visitante, que aproveitam a festa para se divertir.

Vá conferir de perto a imensidão de atrativos culturais que a cidade vive e em especial nesse período junino, começando pelo povo, alegre, cordial e hospitaleiro e que acredita que ser estanciano é algo único.