Os três homens acusado de matar com um tiro de espingarda um idoso de 80 anos no município de Nossa Senhora Aparecida voltam ao banco dos réus no próximo dia 21 de fevereiro. O crime teria ocorrido depois de uma desavença do idos com o filho de um dos acusados do crime por causa de um som alto.

Foto: Arquivo Infonet
Foto: Arquivo Infonet

Os irmãos José Genivaldo de Oliveira, José Gileno de Oliveira e Josué de Oliveira, acusados de assassinar o idoso Antônio Santos, 80 anos, morto por um tiro em 14 de abril de 2013 no povoado Cruz das Graças, município de Nossa Senhora Aparecida, voltarão ao banco dos réus no dia 21 de fevereiro às 09h, quando será dada a continuidade da audiência de instrução criminal dos mesmos.

Durante a primeira audiência de instrução e julgamento realizada na última quinta-feira, dia 23 de janeiro, no Fórum local do município de Ribeirópolis, e presidida pela Juíza de Direito, Dra.Taiane Danusa Gusmão Barroso Sande, compareceram à audiência os réus, juntamente com o seu advogado e o assistente de acusação.

Em um primeiro momento houve a oitiva das testemunhas arroladas pela acusação e em seguida foram oitivadas as testemunhas de defesa.

O Crime

A vítima foi morta com tiro de espingarda motivada por uma briga envolvendo som alto. Segundo a polícia, o filho do acusado de ter atirado, estaria ouvindo música e o idoso teria pedido para que o barulho fosse amenizado. Devido ao desentendimento, o pai do rapaz, José Genilvaldo de Oliveira, 49 anos, assassinou o idoso com tiro de espingarda.

No momento da apresentação, à imprensa, José Ginaldo admitiu ter assassinado o idoso e disse que agiu de “cabeça quente”. “ele bateu em meu menino e por isso reagi. Meus irmãos não participaram do crime, eles estavam tentando me parar”, disse o acusado.

INFO: Portal Infonet/Aisla Vasconcelos