A Câmara Municipal de São Cristóvão aprovou por unanimidade uma moção de repúdio a um sargento da policia militar lotado no Grupamento Tático Motorizado (GETAM). Após aprovada, a moção foi encaminhada ao Getam, “para que todos tomassem conhecimento” da revolta dos vereadores ao tomarem conhecimento de que o filho de um vereador foi abordado pela PM.

IRMÃO GIBSON
VEREADOR POR SÃO CRISTÓVÃO-SE, IRMÃO GIBSON

“indignação” dos vereadores foi pelo fato de o sargento do Getam em serviço, ter abordado um jovem que  estava em uma moto sem o capacete. A abordagem ocorreu por volta das 16:30h do dia 22 de abril e enquanto a equipe policial fazia a abordagem, o motorista fez uma ligação e logo em seguida apareceu o vereador Gibson que teria se identificado e solicitado que não fosse feito o auto, chegando inclusive a desacatar os militares.

Como o policial militar não aceitou e cumpriu à risca o que determina a legislação, isso acabou provocando a ira do vereador Gibson e de seus colegas que acabaram aprovando a “moção de repúdio” por ter feito a abordagem a um filho de vereador.

Ao tomar conhecimento do fato, o comandante do Getam, capitão Rivaldo, afirmou que ao contrario do que fez a Câmara de Vereadores de São Cristóvão, ele como comandante iria dar um elogio que seria publicado no boletim da PM. “É preciso entender que filho de vereador, de deputado não goza de imunidade parlamentar. Ao invés de aprovar moção de repúdio a um militar que cumpriu sua missão, ele deveria aprovar uma moção de repúdio a ele”, afirmou capitão Rivaldo.

Capitão Rivaldo lembrou ainda que recentemente a sua equipe e sob o seu comando fizeram a apreensão de 60 quilos de maconha em São Cristóvão. “Esse vereador deveria olhar para o beneficio que a policia militar leva para o seu município. Embora isso seja a nossa obrigação. Mas eu não vi nenhum vereador aprovar moção nos cumprimentando. Nós fazemos abordagens sim com armas apontadas, porque não está escrito na testa de ninguém se a pessoa é do bem ou é bandido. Nós nunca sabemos o que o cidadão leva em baixo da camisa”, explicou o comandante.

Ao final da conversa que teve com a redação do FAXAJU, capitão Rivaldo garantiu que “o militar agiu de forma correta, não cometeu nenhum abuso e fez o procedimento correto. Portanto merece um elogio pelo excelente trabalho que desenvolve”, disse o militar.

IRMÃO GIBSON …

O vereador de São Cristóvão Gibson Rodrigues da Cruz, o “Irmão Gibson”, citado no texto acima como pivô da discussão que levou ao ato de repúdio do PM da GTAN é o mesmo que foi acusado pela ex-mulher Mara Santos Rodrigues da Cruz de tê-la agredido fisicamente em 23/01/2012.

Na época, a dona de casa informou ter sido agredida pelo Irão Gibson, seu ex-marido, em sua residência do centro de São Cristóvão, onde morava, pelo fato do agressor se recusa a aceitar o término de seu casamento. “Ele não quer a separação, não quer que eu ande com ninguém. Já me ameaçou de morte várias vezes, me xinga, me difama”, disse a vítima na época.

Ainda na noite do domingo, ela foi registrar um boletim de ocorrência na Delegacia Plantonista, em Aracaju. Gibson teria invadido sua casa, arrastando-a pelo chão e espancando-a com socos e pontapés por volta das 15h.

O caso foi parar na delegacia plantonista de Aracaju.

INFO: FAX AJU COM RADIALISTA MARCOS COUTO