Ouvir com webReader

O diretor de finanças, Raul Corrêa fechou o quadro, fez todos entenderem a tolerância com Alexandre Pato, toda a falta de envolvimento, garra, comprometimento. Mais Como se pode cobrar um jogador que o clube deve R$ 2 milhões?

O atacante ganha escudo para críticas, cobranças e o Corinthians demonstra que não tem competência para cumprir sua obrigação. Pagar o salário a um funcionário.

ALEXANDRE PATO

Ficou escancarada toda constrangedora situação. Empolgados com a conquista da Libertadores e a chegada no Mundial, os dirigentes decidiram que iriam contratar um ídolo. A ideia foi concebida junto com a patrocinadora Nike que disse que o clube iria ter a partir de 2013 alguém midiático capaz de atrair a atenção mundial e novos investidores, alguém com potencial para se firmar na Seleção, para ser o representante corintiano na Copa, assumir o posto de garoto-propaganda do Itaquerão.

Os conselheiros ouviram até uma heresia ser repetida. “Vai chegar alguém como o Ronaldo, só que mais novo,” e pensando nisso o clube gastou R$ 43 milhões por 60% dos direitos econômicos. Todos estavam felizes afinal, enquanto a transação se efetivava, o clube era campeão mundial. Estava tudo certo e a equipe teria uma estrela internacional.

Assim foi e Alexandre Pato foi apresentado com pompa e circunstância, a maior contratação de todos os tempos de um clube brasileiro. Nunca equipe alguma havia gasto tanto e por apenas 60% do jogador!

Além dele, Renato Augusto e Gil foram contratados e foram R$ 60 milhões de reforços a Tite, ou seja, o caminho para o bi da Libertadores era mais que garantido. Só que o treinador se deixou levar, suas cobranças perderam força, se tornou amigo demais dos atletas.

O clube se preocupou no que parecia ser mais difícil com Pato, Livrá-lo das lesões musculares, no Milan foram 14.

O trabalho de livrá-lo das contusões foi perfeito, o problema se mostrou com a bola nos pés. O jogador assustou Tite tamanha a sua dificuldade nos fundamentos básicos, nos chutes, cabeçadas, domínio de bola, simples tabela. Se mostrou um jogador tosco, com meros lampejos do artilheiro que todos esperavam.

Na Libertadores perdeu gols incríveis e o Corinthians caiu na competição mais desejada de maneira precoce.

FOTO: gazetapress

Foi um baque no planejamento econômico do clube assim como a não confirmação da venda do naming rights do Itaquerão. Tite perdia de vez a firmeza, o controle do grupo e de nada adiantou ter um elenco caríssimo nem a vaga para a Libertadores de 2014 o clube conseguiu e Tite foi dispensado sem dó.

O clube tentou de todas as maneiras vender Alexandre Pato na verdade ainda tenta. A janela de transferências europeia termina no dia 31 de janeiro só que não há clubes interessados.

Foram empresários que espalharam a notícia que o Tottenham queria o atleta e estaria disposto a pagar R$ 40 milhões, mas se fosse verdade, o Corinthians esticaria um tapete vermelho até a Inglaterra. O clube combinou pagar Pato em três parcelas e já pagou duas.

Se os milaneses aceitassem reverter o negócio haveria festa no Parque São Jorge. Pato acreditava que faria sucesso no clube, disputaria a Copa e voltaria a Milão, só que nada disso deu certo.

Além de jogar pessimamente, ele rompeu com Barbara Berlusconi, a filha do dono do Milan não gostou do que soube sobre o brasileiro quando estava na Itália e além de desmanchar o namoro, ela decidiu que as portas do clube estão fechadas ao seu retorno. O atacante levou meses para se recuperar emocionalmente da situação, ficou deprimido.

Enquanto isso, o clube decidiu parar de gastar dinheiro com juros com a Odebrecht e decidiu desviar o dinheiro do futebol para o Itaquerão e ainda sofreu um baque inesperado. Não recebe da Caixa Econômica Federal, seu patrocínio principal, desde novembro.

O clube precisa apresentar Certidões Negativas de Débito e por isso está na lista negra do Cadin, Cadastro de Devedores. Os dirigentes juram que resolverão a questão ainda neste mês.

Ainda estão para entrar em caixa R$ 12,5 milhões, dinheiro das negociações de Marquinhos e Edenílson. O clube quer concretizar a venda do volante/lateral ao Roma de qualquer maneira.

Com essas questões, o Corinthians optou por uma prática comum. Tem pago os salários de todos os jogadores em dia, mas decidiu atrasar os direitos de imagem. Só quatro atletas têm esse benefício.

O clube costuma ficar com 100% da imagem dos atletas que contrata, mas não foi assim no caso de Emerson Sheik, Ralf e, Pato e o maior devedor é o ex-atacante do Milan. A dívida já chegou a R$ 2 milhões que nem ele nem seu empresário Gilmar Veloz cobram publicamente ou nos bastidores e isso só não aconteceu ainda porque o jogador ainda não se firmou.

Tite já havia alertado Mario Gobbi do não envolvimento do atacante, da personalidade distante, da falta de comprometimento, para ele tanto fazia estar na reserva ou ser titular e isso era péssimo para o grupo pois ele era visto com muito entusiasmo pelos companheiros, mas jogando mal e com comportamento distante, logo se isolou do grupo.

A cavadinha que resolveu dar em Porto Alegre contra o Grêmio foi a gota d’água e muitos jogadores se revoltaram com a desclassificação da Copa do Brasil. Era a última chance de o clube disputar a Libertadores. Pato foi aconselhado a nem ir para o hotel com o grupo para evitar confusão.

Desde então a ligação do jogador com o restante do elenco é fria, Apenas profissional.Os dirigentes se calavam, os jornalistas que frequentam diariamente o clube estranhavam, o porque de tanta proteção a Pato.

A dívida de R$ 2 milhões, assumida pelo diretor de finança, explica tudo. Era um trunfo do atacante. Ele poderia desmoralizar a diretoria expondo a quantia que lhe é devida.

Raul Corrêa está sendo muito criticado por ter falado a verdade à imprensa, postura que desagradou a cúpula, tira a tranquilidade de Mario Gobbi, mostra o quanto o clube está comprometendo o futebol por causa do estádio e explica porque todos toleram a falta de envolvimento de Alexandre Pato. É uma situação amadora para os dirigentes que se assumem com os mais modernos. Que modernidade, que competência é essa?

O clube não se organiza para fazer o básico: pagar em dia seus funcionários e não tem moral para cobrar ninguém. Isso atrapalhou demais Tite e também compromete o trabalho de Mano, pois o máximo que pode acontecer com Pato é ir para o banco de reservas e isso não o incomoda nem um pouco.

A grande diferença é que todos entendem o que está acontecendo e já podem cessar os sorrisos falsos, os tapas nas costas por que ´´ Acabou o teatro.“