Ouvir com webReader

Após quatro meses de investigações e análises dos dados criminais registrados no bairro Santa Maria, zona sul de Aracaju, a Secretaria de Segurança Pública, através do Complexo de Operações Policiais Especiais (COPE), Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol) e Comando de Operações Especiais (COE) da Polícia Militar, deflagrou a Operação Concórdia com o intuito de cumprir 70 mandados judiciais, sendo 30 mandados de prisão e 40 de busca e apreensão.

OPERAÇÃO VALQUIRIA
FOTO: SSP/SE

A SSP identificou que cerca de 20% dos homicídios ocorridos na Grande Aracaju são registrados naquela região capital e que a maioria dos graves delitos estava relacionada às disputas de duas facções criminosas pelo controle territorial do tráfico de drogas. As fases de análise criminal e de Inteligência de Segurança pública aliadas às investigações policiais de várias delegacias da Grande Aracaju duraram mais de 120 dias.

A partir dessa minuciosa investigação foi possível identificar os membros das duas organizações que se rivalizam na área. Além disso, durante os levantamentos, a polícia constatou um grande número de pessoas envolvidas com crimes de tráfico, roubo e homicídios migrando para uma área de invasão do bairro. Na sua primeira fase dos trabalhos, foram feitas diversas incursões em todas as áreas do bairro para dar cumprimento aos mandados judiciais pleiteados pelo COPE.

Por volta das 7h30 desta quinta-feira, 28, a polícia sergipana já tinha prendido 27 pessoas e apreendido várias armas de fogo.

Mais de 300 policiais de diversas unidades das Polícias Militar (CPMC), como COE, Radiopatrulha, Choque, GETAM, Cavalaria, 1ª Cia e 4ª Cia do 1º BPM; e Grupamento Tático Aéreo (GTA), e da Polícia Civil, como COPCAL, COPCI, GERB, DHPP e DENARC, além do Canil do Corpo de Bombeiro participaram da operação.

Morte …

MORRENDOPelo menos uma morte foi registrada tendo relação com a operação. A vitima seria José Carlos Lima dos Santos, 25, conhecido como “morrendo” ele era o principal suspeito envolvido em vários crimes e roubos na cidade de São Cristóvão.

“Morrendo” teria sido morto durante troca de tiros com os policiais, durante operação da Prainha, região do Santa Maria. “Morrendo” chegou a ser socorrido e foi encaminhado ao Hospital de Urgência e Emergência de Sergipe (Huse) local onde realmente morreu.

Nesta sexta-feira será concedida uma coletiva à imprensa para esclarecimentos sobre os primeiros resultados da primeira fase da operação.

INFO: SSP/SE