Ouvir com webReader

Internos do Centro de Atendimento ao Menor (Cenam) fugiram por volta das 9h desta sexta-feira (3), no momento do banho de sol, em Aracaju. De acordo com o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Sidney Guarany, a fuga ocorreu na Ala 2.

Internos quebram parede do Cenam e fogem/Foto: Diego Rodrigues
Internos quebram parede do Cenam e fogem/Foto: Diego Rodrigues

“A ala está em fase de reforma. A parte que ainda está em obras pode ter facilitado e eles  conseguiram quebrar o muro com materiais usados pelos pedreiros”, explica.  Ainda de acordo com ele, cerca de 40 internos teriam fugido, sendo que uma parte foi em direção a um matagal e outra para uma pousada que fica ao lado da unidade.

O sargento Ananias disse que quatro deles já foram recapturados. Equipes do Batalhão de Choque, Rádio Patrulha e Polícia Militar estão fazendo rondas na região.

Funga foi registrada por volta das 9h desta sexta-feira no Cenam (Foto: Daniel Soares / G1)
Funga foi registrada por volta das 9h desta sexta-feira no Cenam (Foto: Daniel Soares / G1)

Princípio de rebelião

Na tarde da quarta-feira 1º/10 outro princípio de rebelião foi iniciado na mesma ala. O presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança e Medidas Socioeducativas do Cenam, Sidney Guarany, disse que os internos quebraram a Ala 2, que foi recentemente reformada e que eles não teriam conseguido fugir por conta da reforma realizada no local.

Um Boletim de Ocorrência foi registrado na Delegacia Plantonista e aponta que o que provocou o motim foi uma tentativa de homicídio de um interno, de 18 anos, contra um agente dentro da própria unidade socioeducativa.

A tentativa de homicídio ocorreu no momento em que dois agentes e três socioeducadoras conduziam um interno do posto médico para a cela. Quando o grupo entrou na Ala 2, outro interno sacou um chucho – arma improvisada feita com uma barra de ferro – e partiu para agressão. “Ele tentou furar um dos agentes de segurança. O objetivo que ele tinha era fugir, por isso que ele partiu para a agressão”, conta Sidney Guarany, presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança e Medidas Socioeducativas do Cenam.
INFO: G1